A ONG – Ylê do Hozoouane

Sociedade Beneficente Centro de Cultura Afro Brasileira Asé Ylê do Hozoouane

A Sociedade foi fundada oficialmente em 20 de Fevereiro de 2000, tendo seu Estatuto Social registrado sob o nº 04.609.534/0001-70, cadastrada no COMAS/SP sob o nº 572/2003, Certificado de Utilidade Pública Municipal nº 45.567/2004 e CMDCA nº: 1175/CMDCA /2006.

A área de atuação e abrangência da Sociedade Beneficente Centro de Cultura Afro Brasileira Asé Ylê do Hozoouane compreende a região de Parelheiros e Marsilac, que constitui território peculiar no contexto da metrópole paulistana, tanto pelo baixo IDH contexto da metrópole paulistana, tanto pelo baixo Índice de Desenvolvimento Humano (o mais baixo da capital), quanto pela distância do centro administrativo, como pelo peculiar adensamento populacional de cerca de 6% ao ano.

1 2            

Sede e escritório da ONG Asé Ylê do Hozoouane, Localizado na Rua Conde de Fontalva, 100, Jardim Santa Fé, Parelheiros, São Paulo – SP

Diversas atividades já foram desenvolvidas nos 15 anos de atuação, desde atividades assistenciais como o Programa Leva Leite e o Banco de Alimentos do CEAGESP, até programas que visam a emancipação pessoal da vulnerabilidade social, como o Polo de Moda que ministra oficinas de costura, especialização em Manicure&Pedicure e especialização de azulejista, todos em parceria com o Fundo de Solidariedade do Estado de São Paulo.

A busca tem sido constante pelo estabelecimento de cursos profissionalizantes e ações socioculturais e educativas como oficinas de capoeira, dança, leitura, dramaturgia, artesanato e outros, sempre com o enfoque no desenvolvimento do indivíduo e na valorização da cultura afro- brasileira, proporcionando aos cidadãos afrodescendentes ou não conhecimentos que lhes permitam o aumento da autoestima e sua inserção no mercado de trabalho a geração de renda local. A arte e a cultura, vocação primeira de qualquer terreiro de candomblé, já foi fomentada em programas como o Balé Afro Mona Kavungo, responsável por congregar jovens da região em aulas de dança afro-brasileira.

A preocupação ambiental não poderia ser olvidada da atuação do Ylê, inserida na encruzilhada de duas áreas de preservação ambiental, e da maior concentração de verde da capital paulista, o programa Cajá Mungosu é um excelente exemplo de atuação consciente. Envolvendo diversas casas de cultos afro-brasileiros da região, o programa Cajá pensava justamente no uso ritual de espaços naturais, e na sua melhor conservação através de práticas conscientes de entregas de oferendas, minimizando os impactos nos ambientes naturais.

O Asé Ylê do Hozoouane tem conseguido promover ações que desenvolvem a autoestima e a afirmação social da comunidade adjacente, voltando-se sempre ao desenvolvimento sócio-cultural de adolescentes e de seus familiares, proporcionando um ambiente sadio em que há a interação de todos os envolvidos. Atualmente a ONG promove encontros com idosos e famílias que recebem atendimento em projetos ou ações da entidade com serviços gratuitos de orientação psicológica, dada a carência na região desses serviços, O Centro de Convivência para idosos e o projeto do Ponto de Cultura Angorô são os atuais projetos.